• Investe Mais

Apple pode gerar R$ 550 bilhões comprando Bitcoin, diz empresário

O professor da ETF Think Tank, Dan Wieskopf, disse no Twitter que a Apple (NASDAQ:AAPL); (SA:AAPL34) deveria investir suas reservas em Bitcoin (BTC). Isso porque o criptoativo protegeria a companhia da inflação.


Na rede social, ele compartilhou o link de um artigo em que explica por que esse investimento faria sentido para a Apple.


Segundo Wieskopf, as condições atuais são ótimas para a Apple entrar no Bitcoin. Afinal, como explicou, Apple tem a capacidade de fazer investimentos mais arriscados, já que não é um banco.


Além disso, investir na criptomoeda seria uma estratégia menos arriscada que comprar ações. Atualmente, esta tem sido a estratégia da companhia.

“Quer você veja o Bitcoin como uma proteção contra a inflação, uma especulação ou uma classe alternativa de ativos, é uma inovação tecnológica. E a Apple está posicionada de forma única para oferecê-lo aos seus acionistas”, opinou.

CEO da MicroStrategy apoia visão

Quem concordou com Wieskopf foi Michael Saylor, CEO da MicroStrategy. Vale ressaltar que recentemente a companhia se tornou a primeira multibilionária de capital aberto a colocar suas reservas em Bitcoin.


A empresa listada na Nasdaq investiu mais de R$ 1 bilhão na criptomoeda. Nesse sentido, também no Twitter, Saylor disse que a Apple não deve apenas colocar suas reservas no Bitcoin. Segundo o executivo, a Apple também deve integrar o criptoativo à Apple Pay.


Ao mesmo tempo, ele defendeu que a empresa também deve criar uma carteira segura de criptomoedas no iPhone. Com isso, segundo Saylor, a empresa avaliada em US$ 2 trilhões seria capaz de gerar mais de US$ 100 bilhões aos seus acionistas:

#Apple could generate $100 billion or more in shareholder value if they integrated #Bitcoin into Apple Pay, built a secure crypto wallet into the iPhone, and began buying #BTC with their Treasury Reserves. h/t @ETFProfessor https://t.co/zqDNuFskeY— Michael Saylor (@michael_saylor) November 11, 2020
“A Apple poderia gerar US$ 100 bilhões ou mais em valor para o acionista se integrasse o Bitcoin ao Apple Pay, construísse uma carteira de criptomoedas segura no iPhone e comprasse o BTC com suas reservas do tesouro”, disse Saylor.

Fonte: CriptoFácil

2 visualizações0 comentário