• Investe Mais

Bitcoin encontra espaço na África e segue crescendo

O Bitcoin é uma moeda digital que funciona pela internet desde 2009. Com economias vulneráveis, o ativo encontra um espaço de destaque na África, continente arrasado por moedas fracas.


Sendo as moedas fiduciárias de vários países do continente africano extremamente desvalorizadas, a população procura alternativas. Uma delas certamente é o dólar, contudo, há uma escassez da divisa nos países da região.


De acordo com um levantamento de analistas locais, as pequenas empresas têm sido as principais fontes de negociação com Bitcoin. Isso porque, ao negociar com estrangeiros, o uso das criptomoedas facilitam transações e evitam taxas de câmbio.


Com grande potencial de uso na África, Bitcoin encontra espaço em pequenas empresas e volume segue em alta


O Bitcoin foi criado por Satoshi Nakamoto com um interesse em facilitar transações globais. Funcionando pela internet, o Bitcoin seria considerada a moeda digital do povo, segundo seu criador.


Com funcionamento diferente das moedas fiduciárias, que dependem de Banco Central, o Bitcoin é a primeira descentralizada do mundo. E o seu potencial já começa a ser explorado em um continente que carece de inovações financeiras nos últimos anos.


De acordo com a Reuters, países africanos, como a Nigéria, por exemplo, têm visto uma grande adoção do Bitcoin. Isso porque, a moeda local tem passado por imensa desvalorização, o que prejudica a realização de negócios.


Outro país vizinho da Nigéria já vê a moeda local registrar uma perda de dois terços do valor. Ou seja, com divisas fracas, que não cumprem com o requisito de reserva de valor, aliada a uma escassez de dólar, o Bitcoin tem sido a salvação de muitos africanos.


O maior problema que os analistas da região ainda detectam é que a falta de regulamentação atrai golpistas. Apesar deste problema, o Bitcoin segue crescendo em volume em toda a África.


Entusiasta do Bitcoin e da África, CEO do Twitter volta a falar que moeda é a única nativa da internet


No final de 2019, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, passou alguns meses viajando pelo continente africano. Por lá, Jack conheceu muitos entusiastas do Bitcoin e pôde entender melhor as dores do continente.


Ao sair do continente, Jack Dorsey deixou claro que o Bitcoin tem um grande caso de uso na África. Isso porque, com a população ainda sofrendo com guerras, fome, entre outros, o uso do dinheiro é um dos problemas que podem ser facilmente resolvidos com Bitcoin.


Na última semana, Jack conversou com a Reuters novamente, deixando claro sua opinião sobre o Bitcoin. Para ele, o Bitcoin é a única moeda nativa da internet e isso não deve mudar nos próximos anos.


Para ele o uso do Bitcoin é fácil e as taxas, em relação a sua eficiência, são baratas. Ou seja, o CEO do Twitter, um das redes sociais mais utilizadas no mundo hoje, defende que o Bitcoin seja a moeda padrão da internet.


Recentemente a Amazon lançou um documentário chamado Bitcoin on Africa, que mostra a aplicação da moeda no continente. O caso é apenas mais a destacar o imenso potencial do Bitcoin como moeda e sua importância em garantir a liberdade financeira pelo mundo.


Fonte: livecoins

2 visualizações0 comentário