• Investe Mais

Como a China estaria secretamente iniciando o próximo rali do Bitcoin

O Bitcoin se move lateralmente há dias com crescimento de apenas 0,7% em uma semana. No entanto, secretamente, a China já estaria movendo as estruturas para provocar o próximo rali.


A pista estaria nos movimentos feitos pelo governo chinês em direção à criptomoeda. Historicamente avesso aos criptoativos, o Partido Comunista Chinês parece ter iniciado, de surpresa, uma campanha a favor do Bitcoin.


Relatos começaram a surgir na web descrevendo anúncios em jornal e na TV em tom positivo sobre o Bitcoin. Entre os assuntos estava o bom desempenho em 2020 na comparação com investimentos tradicionais.


O fato chamou atenção principalmente porque o veículo em questão teria fortes laços com o Partido. Afinal, por que a China estaria falando bem do Bitcoin? A iniciativa não parecia se alinhar ao interesse do país em controlar as finanças dos cidadãos apesar dos avanços em blockchain.


Na época, o CEO da Binance, o chinês Changpeng Zhao, deixou claro que a novidade tem grande potencial.


A maioria das pessoas no Twitter provavelmente não entende o quanto isso é relevante. É relevante.


Segundo um analista, toda dessa propaganda já começa a surtir efeito. Como consequência, a China estaria catalisando o próximo movimento de alta do Bitcoin. Os fundamentos, segundo ele, já estão aparecendo.


Recorde de carteiras de Bitcoin


Para o analista Cole Garner, a blockchain do Bitcoin já começa a dar sinais de um possível rali. Um dos principais é o aumento repentino no número de carteiras de BTC.

Dados da Glassnode mostram pico de novos endereços de Bitcoin


De uma média de 5 a 10 mil novos endereços de BTC por dia, a firma de análise Glassnode já aponta um pico de 22 mil diários. Historicamente, uma subida brusca em endereços precede uma alta de preços. Mas, há também um aumento significativo de USDT no mercado, o que aumenta ainda mais as suspeitas de apreciação.


Para Garner, o excedente de novas carteiras e a impressão de USDT só tem uma explicação: a China está entrando de cabeça no Bitcoin. Um dos primeiros resultados, segundo a tese, seria a manutenção do BTC acima dos US$ 10.000 por tempo recorde, apesar do desestímulo no mercado.


China estaria mirando controle sobre mineração


O analista fundamenta sua teoria na forte presença de mineradores de Bitcoin na China.


Segundo ele, o país estaria em uma campanha para inflar suas próprias reservas em BTC, que seriam a maior do mundo.

Mas a China não tem um longo histórico de supressão de criptomoedas? Sim, mas a realidade é mais complexa. Simplificado: os líderes chineses promovem qualquer narrativa que beneficie sua posição atual, a qualquer momento. Por que a nova narrativa? Meu palpite: a China domina a mineração de BTC – e, sem dúvida, detém mais BTC do que qualquer outro país, com larga vantagem. O Bitcoin é o tesouro nacional da China. Mais cedo ou mais tarde, maximizar o potencial do BTC se torna um incentivo econômico inevitável.

O interesse da China no Bitcoin, portanto, teria a ver com as supostas economias do país em criptomoeda. No entanto, há quem veja uma razão mais obscura.


Esse é, por exemplo, o caso de Chris Larsen, co-fundador da Ripple recentemente acusado de despejar XRP. Ele acredita que o controle chinês sobre a mineração poderia permitir que o país reverta transações de BTC, usando a criptomoeda como arma comercial contra os EUA.


Independentemente do motivo, o Bitcoin estaria pronto para subir. Para Garner, quem acredita no Bitcoin hoje “estará sorrindo no Natal”.


Fonte: beincrypto