• Investe Mais

Como aceitar bitcoin no seu comércio físico e online?

O Bitcoin (BTC) tem se tornando cada vez mais uma moeda importante para a economia mundial, especialmente em países que sofrem com inflação, como a Venezuela e a Argentina.


Mas apesar da popularidade como reserva de valor, assim como o ouro, não é tão comum ver estabelecimentos aceitando o bitcoin como moeda corrente em estabelecimentos comerciais, porém existem economias inteiras que funcionam com pagamentos em criptomoedas, provando que isso é realmente possível.


Hoje você vai aprender a aceitar bitcoin e outras criptos em seu estabelecimento de maneira simples e rápida, seja ele físico ou online.


Como aceitar Bitcoin na loja física?


Talvez você já aceite bitcoin e nem saiba. Se você for dono de uma maquininha da Cielo, bom, qualquer cliente que tiver uma carteira Bitfy poderá transferir bitcoins para você.


Basta selecionar a opção “crédito à vista” e apertar a tecla verde quando aparecer a opção de pagamento aproximação. E então o cliente com a carteira Bitfy pode pagar em BTC usando o QR Code da máquina e você recebe em reais.


Fizemos um vídeo mostrando como usar a carteira da Bitfy para pagar no Outback, veja como é fácil:


Simples não é mesmo? Mas se eu não tenho uma máquina da Cielo?


Tem uma opção mais simples ainda, que é aceitar bitcoin direto no seu celular ou computador do caixa. Basta escolher uma das melhores carteiras de bitcoin, baixar e você já poderá enviar e receber btc para o mundo todo.


Mas e se você quer aceitar bitcoin e receber em reais?


Apesar do Bitcoin evitar intermediários de confiança desde seu documento de apresentação de 2008, o uso de um gateway de pagamentos pode ser um facilitador interessante para você que tem loja física e quer receber na moeda local.


A utilização da BitPay ou Kamoney, por exemplo, podem permitir que o cliente pague em bitcoin, mas o vendedor receba diretamente em reais, sem as altas taxas dos cartões de crédito e riscos de estorno.


A desvantagem de usar gateways é a dependência do serviço de terceiros, que podem não te aceitar como cliente ou mesmo mudar as regras do jogo no meio do caminho (aumentando as taxas, por exemplo).


A Microsoft e a Twitch são exemplos de empresas que usam intermediários para aceitar criptomoeda.


Dicas para lojas físicas que pretendem aceitar Bitcoin


Aqui vamos te dar algumas dicas para receber e melhorar a recepção de bitcoin na sua loja física.


Obviamente, nenhum empresário quer abrir seus números para todo mundo, já imaginou se cada recibo de pagamento mostrasse para o cliente o quanto você tem em carteira, o quanto faturou no mês e outros dados?


A transparência do blockchain pode ser um problema, mas nada que algumas boas práticas não resolvam. A reutilização de endereços de recebimento é a principal prática que você deve evitar.


Portanto, plaquinha de “Aceitamos Bitcoin” com um QR code para a carteira, apesar de elegante e chamativa, deve ser usada com cuidado. Se for fazer uma, pelo menos tenha em mente que aqueles bitcoins podem ser observados por qualquer pessoa que salve o endereço e deseje bisbilhotar o quanto você recebe.


No geral, busque sempre usar um endereço diferente para cada venda, assim cada cliente só sabe da sua própria compra. Os bons aplicativos de carteira já geram um novo endereço para cada transação por padrão, e os gateways também gerenciam isso para você, mas é bom ficar de olho.


Outro ponto importante é o treinamento dos funcionários, se você não quer que eles tenham acesso aos fundos não deve compartilhar a mesma carteira. Para esse caso, você pode configurar uma carteira “watch-only” usando a Guarda Wallet, por exemplo, e os funcionário terão apenas a informação de que estão recebendo o pagamento, mas não poderão gastá-los.


Outra solução ainda mais sofisticada é usar o BTCPay Server, no qual é possível até mesmo configurar um menu do estabelecimento, com preços já definidos para cada produto, e exportar apenas a chave pública mestra (xpubkey) da sua wallet e importar na BTCPay Server para seus empregados.