• Investe Mais

Descentralizado? Pool de mineração de Bitcoin censura transações

Um novo pool de mineração de Bitcoin (BTC) criado pela Blockseer promete censurar transações suspeitas realizadas com a criptomoeda. A empresa pretende realizar a ação por meio de uma lista de carteiras de Bitcoin “proibidas”.


No entanto, parte da criptoesfera está preocupada com as consequências que a censura pode causar nesse meio.


Pool de mineração censura transações de carteiras suspeitas

O serviço da Blockseer pertence à empresa DMG Blockchain Solutions. Agora, a companhia está lançando o próprio pool de mineração, conforme anunciado em seu site oficial:

“Estamos introduzindo o ‘Pool da Blockseer’. Esse é um pool de mineração estadunidense dedicado à transparência e à boa governança. Junte-se a nós para começar o processo de ‘KYC’ e se transformar num participante ‘beta’.”

O KYC é um procedimento de conformidade comumente aplicado pelas empresas do setor financeiro.


Sheldon Bennett, diretor de operações da DMG, explicou o tema em entrevista ao Cointelegraph:

“O pool é focado em evitar transações de carteiras de criptomoedas notoriamente nefastas. Essas carteiras utilizam o meio da mineração para piorar a reputação das criptomoedas -— em especial o Bitcoin — junto a grande mídia e chegam a impedir a adoção geral dos criptoativos”, afirmou Bennett.

Procedimentos de KYC são comuns

O KYC é uma ferramenta de prevenção à lavagem de dinheiro. Dessa maneira, o processo consiste em verificar se as atividades financeiras dos clientes são compatíveis com a sua realidade econômica.


Isso coloca as empresas num papel ativo de contenção à lavagem de dinheiro, de forma a evitar que elas mantenham negócios com clientes envolvidos em atividades supostamente ilegais.


Contudo, a prática não é comum no ambiente das criptomoedas, já que elas costumam prezar pela privacidade dos seus usuários.


Censura preocupa parte da criptoesfera

A possibilidade de censurar transações de criptomoedas não é vista com bons olhos por parte dos seus usuários.


Por conta disso, Riccardo Spagni, que ajudou a desenvolver o Monero (XMR), se manifestou sobre o tema:

“É apenas uma questão de tempo até que a maior parte dos pools de mineração do BTC sejam forçados a filtrar as transações. […] Note também que, ao adicionar mais privacidade ao protocolo do Bitcoin, será possível ajudar a prevenir esse tipo de situação”, ponderou Spagni.