• Investe Mais

Ex-funcionário da Atlas Quantum também perdeu tudo após investir salário em Bitcoin

Um ex-funcionário da Atlas Quantum diz que investiu o próprio salário na empresa encorajado pelos donos. Segundo ele, havia a promessa de um bônus em Bitcoin, mas ele perdeu tudo quando a suposta pirâmide financeira quebrou.


Segundo o antigo funcionário, ele teria investido US$ 3.000 na Atlas Quantum com dinheiro do próprio salário de R$ 6.800. Segundo ele, a empresa oferecia “um bônus em bitcoins” mediante esse investimento.


No entanto, o suposto bônus teria ficado preso na plataforma quando a Atlas bloqueou saques em agosto de 2019. A Atlas Quantum é acusada de operar um esquema de pirâmide financeira. Em apenas um processo a Justiça busca R$ 65 milhões da empresa.


Em troca de suposto rendimento com criptomoedas, a empresa teria angariado investidores apenas para alimentar lucros de quem havia entrado primeiro – incluindo os próprios fundadores.


A declaração está em um processo trabalhista movido por um desenvolvedor de sistemas. Ele alega que teria sido contratado em agosto de 2018, mas seu contrato teria sido rescindido em novembro de 2019 “injusta e imotivadamente”.


Ex-funcionário terá que brigar na Justiça junto com outros investidores da Atlas Quantum


O autor conseguiu deferimento para o pedido de pagamento de R$ 28.000 em verbas rescisórias, incluindo FGTS e multa, além de danos morais. No entanto, a Justiça do Trabalho não viu provas suficientes para conceder também o suposto rendimento do investimento pretendido.


Isso se dá porque o desenvolvedor tinha contrato com a Atlas Services. Embora componha o mesmo grupo econômico, é uma empresa diferente da Atlas Proj Tecnologia.

A princípio é importante considerar que nada há nos autos a comprovar que o autor foi obrigado a investir seu próprio salário, nos moldes declinados na exordial. Portanto, não se pode afirmar que os investimentos realizados pelo obreiro foram em decorrência do contrato de trabalho ou referiam-se a alguma vantagem oferecida pela empregadora.

No final das contas, o ex-funcionário deverá brigar na justiça pelo ressarcimento como se fosse um dos investidores que perderam dinheiro na Atlas.

Nessa condição, o prejuízo financeiro do autor é como cliente da Atlas Quantum, assim como todos os outros clientes […]. Não há como transferir às reclamadas o ônus do prejuízo sofrido pelo autor.

Fonte: beincrypto

2 visualizações0 comentário