• Investe Mais

JPMorgan começa a testar criptomoeda, após registro no Brasil

O grande banco JPMorgan, que recentemente pediu um registro no Brasil para sua carteira, agora começa a testar sua criptomoeda. De acordo com a CNBC, até uma divisão própria foi criada para lidar com o setor.


Em 2020 o setor das criptomoedas volta a ficar aquecido no mundo, em meio a crise do COVID-19. O Bitcoin, por exemplo, superou o maior preço de 2019 e segue negociado acima de U$ 13.200 hoje.


Com o mercado imerso em inovações e uma busca por estabilidade, grandes empresas começam a mergulhar no setor. Uma delas, o JPMorgan, já está ligado às criptomoedas há alguns anos.


Contudo, o banco ainda não havia começado a testar sua criptomoeda própria, a JPM Coin.


JPMorgan começa testes com sua criptomoeda junto a parceiro


O JPMorgan Chase era um dos principais críticos do Bitcoin até alguns anos atrás. No entanto, gradualmente o banco começou a observar com atenção a tecnologia e até entrar no mercado.


Uma das inovações do banco no setor de criptomoedas foi a criação de sua própria moeda. Chamada de JPM Coin, a inovação é esperada como mais uma opção para empresas tradicionais.


Isso porque, com uma carteira extensa de clientes, o banco dos EUA poderia ajudar principalmente em transações internacionais. A criptomoeda do banco inclusive deverá utilizar a tecnologia blockchain.


De acordo com a CNBC, o JPMorgan começou os testes com um grande parceiro internacional de tecnologia. Os testes começaram a realizar o processamento de pagamentos 24 horas por dia e sete dias por semana.


Apesar da informação dos testes que estão em condução, após anos do início do desenvolvimento, o JPMorgan não revelou o nome do parceiro. Mesmo assim, há uma imensa expectativa deste lançamento para clientes institucionais.