• Investe Mais

Mais da metade das corretoras ignoram regras de segurança

Cerca de 85% das exchanges que não revelam seu local de sede não possuem regras para acompanhar as determinações regulamentares. Isso pode explicar porque há a omissão deliberada das informações sobre a origem do serviço.


Recentemente a BitMEX foi indiciada por não ter cumprido com as muitas recomendações de identificação de clientes e de transações. De acordo com um estudo recente, esse não é um problema incomum dentro do criptomercado, com mais da metade das corretoras ignorando as regras de KYC exigida pelas autoridades.


Um estudo realizado pela Ciphertrace mostrou que a maioria das exchanges de criptomoedas possuem sistemas de identificação bem precários ou então não realizam nenhum tipo de identificação de seus clientes de acordo com as leis dos EUA ou da União Europeia.


56% dos casos estudados não estavam de acordo com as regras de KYC das principais legislações globais. O estudo também determinou que a maioria das exchanges que não seguem as regras estão na Europa, provavelmente por causa da grande quantidade de regulamentações da região.


Além disso, o estudo também mostrou que de todas as exchanges da Europa, dois terços possuem praticas fracas de identificação de clientes.


A Rússia, o Reino Unido e os Estados Unidos foram os países que lideram no número de casos com uma baixa adoção de práticas de KYC. A pesquisa também destaque que a maioria das exchanges de criptomoedas nem ao menos informam o seu país de origem e atuação nos termos e condições de uso.


Segundo o informado cerca de 85% das exchanges que não revelam seu local de sede não possuem regras para acompanhar as determinações regulamentares. Isso pode explicar porque há a omissão deliberada das informações sobre a origem do serviço.