• Investe Mais

ONU cria força-tarefa para impulsionar finanças digitais

A Organização das Nações Unidas (ONU) criou uma Força-Tarefa que tem como objetivo impulsionar as finanças digitais rumo ao desenvolvimento sustentável.


Copresidida pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a iniciativa elaborou um relatório onde estabelece o que chamou de “ambiciosa Agenda de Ação”.


Finanças digitais podem criar comunidades mais fortes

Segundo o secretário-geral da ONU, António Guterres, as finanças digitais podem promover mudanças transformadoras. Desta forma, elas podem criar comunidades e sociedades mais fortes, resilientes e inclusivas em um planeta saudável.


Nesse sentido, a Força-Tarefa do Secretário-Geral da ONU para Finanças Digitais pretende recomendar e catalisar formas de aproveitar a digitalização. Assim, acelerando o financiamento aos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS).


Pandemia revelou benefício das finanças digitais

A ONU observou que a pandemia mostrou os benefícios imediatos das finanças digitais.

No entanto, o potencial disruptivo da digitalização para transformar o mundo das finanças é imenso, disse a ONU.


Segundo a organização, a tecnologia digital é uma “tábua de salvação essencial”:

“Tecnologias de pagamentos por celular têm transformado esses aparelhos em ferramentas financeiras para mais de 1 bilhão de pessoas. O meio digital vem apoiando a inteligência artificial e big data no avanço de criptomoedas e criptoativos, empréstimos entre pares (peer-to-peer), plataformas de crowdfunding e mercados online”, destacou.

Relatório da Força-Tarefa

A Força-Tarefa da ONU elaborou e divulgou um novo relatório na quarta-feira (26). O documento é intitulado “Dinheiro Público: Aproveitando a Digitalização para Financiar um Futuro Sustentável”.


O relatório mostra como as finanças digitais podem empoderar as pessoas. Além disso, pode ajudar os contribuintes e investidores a conceber uma transformação digital que alinhe os recursos às necessidades da sociedade.


No relatório, a ONU enfatiza que há uma oportunidade histórica de aproveitar a digitalização para colocar os donos dos recursos financeiros mundiais no controle das finanças.


Sobre a Agenda

A Agenda de Ação da Força-Tarefa é direcionada para formuladores de políticas e gestores de finanças. Portanto, ela indica ações necessárias para superar os riscos digitais.


A entidade explica que, caso esses riscos não sejam mitigados, podem aprofundar a exclusão, a discriminação e as desigualdades. A Agenda especifica o que e como deve ser feito. Investimentos, novas capacidades e inovações de governança “dão conta do serviço”.