• Investe Mais

SC mapeia o uso de blockchain para transações financeiras

O Estado de Santa Catarina está promovendo mudanças radicais rumo a digitalização no meio da pandemia de 2020. Nos últimos dias, SC afirmou que mapeia o uso de várias tecnologias, a blockchain.


A tecnologia blockchain surgiu em 2009, na prática, com o Bitcoin, que é uma moeda digital criada para a internet. Utilizada como um banco de dados sem ponto de falha central, a tecnologia blockchain trouxe inúmeros avanços para transações financeiras pelo mundo.


Desde que se tornou um termo popular e emergente, a blockchain passou a ser alvo de governos e empresas. Com a pandemia de covid-19, a busca pela digitalização se tornou incessante. Para melhorar o cenário dessa tecnologia no Brasil, o Governo Digital criou um ambiente interessante para inovações públicas com blockchain, que será utilizada até na PRF.


SC mapeia o uso da tecnologia blockchain para permitir transações financeiras


Desde que o Bitcoin foi criado, a tecnologia modificou o pensamento sobre transações financeiras. Com a capacidade de enviar recursos pelo planeta em questão de minutos, o Bitcoin criou um paradigma interessante, chamado de criptomoedas.


A segurança das criptomoedas, e o registro de suas transações, são na maior parte dos casos realizados na blockchain de cada moeda. Além do Bitcoin, a criptomoeda Ethereum também possuí blockchain para armazenar históricos de transações.


Além de armazenar as informações das criptomoedas, a blockchain já foi percebida como uma tecnologia disruptiva. Isso porque, qualquer informação pode ser gravada nesses bancos de dados descentralizados, sendo impossível remover esses registros após sua gravação.


Em meio a pandemia, as empresas e governos tem buscado crescer as inovações digitais. Com burocracias e vários desafios a serem superados, o estado de Santa Catarina tem buscado fazer parte das inovações.

Iniciativa parceira do estado SC, o laboratório Nidus mapeia o uso de várias tecnologias com potencial, sendo que a blockchain foi uma das apontadas em estudo. De acordo com um comunicado institucional do estado de Santa Catarina, a blockchain poderia ser utilizada para realizar transações financeiras na região.


O estudo ainda está em andamento e nada está definido, será possível até participação de empresas interessadas em prover serviço para o estado de SC