• Investe Mais

STJ nega pedido de liberdade de suspeito sequestrador

O STJ nega o pedido de liberdade para um homem suspeito de sequestrar e extorquir uma mulher em Santa Catarina. Mais de R$ 100 mil foi levado da vítima, que ficou várias horas em posse de quadrilha.


O pedido do suspeito foi parar no Superior Tribunal de Justiça e julgado pelo ministro relator Joel Ilan Paciornik. Com pelos menos quatro participantes no crime, um dos investigados, atualmente preso, ingressou com pedido de habeas corpus.


O crime aconteceu de fato em 2019 e teria começado no município de Itapema, próximo a Balneário Camburiú. Com a vítima dentro de um carro, a quadrilha chegou a viajar para o município de São José, região metropolitana de Florianópolis.


Após receber dinheiro da vítima, o suspeito pode ter comprado Bitcoin para ocultar o numerário.


STJ nega pedido de liberdade de suspeito de ser parte de grupo que sequestrou mulher em Santa Catarina


De acordo com as investigações de um crime bárbaro que ocorreu em 2019, uma quadrilha é apontada como sequestradora de uma mulher na cidade de Itapema. O Ministério Público Federal faz parte da investigação deste crime.


Tudo começou quando a vítima transitava em via pública e foi abordada por um dos suspeitos. Neste momento, outro homem teria abordado também a vítima e conduzido ela para um veículo, apontando até arma de fogo.


Os homens passaram então a ofender a vítima e exigir o saque de dinheiro em agências bancárias. Além disso, obrigaram a mulher a realizar um empréstimo no valor de R$ 100 mil. Até a compra de itens com o cartão da vítima em uma loja da Centauro em um shopping foi realizada, no valor de R$ 5 mil.


Participaram do crime, segundo as investigações, três homens e uma mulher. Seriam eles Daiane Woltz, Jair Costa de Andrade, Kleiton Rene dos Santos e Wenderson Feitosa Barcellos. Todos eles são acusados pelo MPF dos crimes de “roubo circunstanciado pelo concurso de agentes, restrição de liberdade da vítima e emprego de arma de fogo em análise“.


Atualmente preso, Kleiton Rene dos Santos entrou com pedido de habeas corpus na justiça brasileira. Julgado nos últimos dias, o pedido de liberdade foi negado pelo STJ, mesmo com Kleiton não sendo participante direto do crime.